quarta-feira, março 22, 2006

Exigimos Português fluente

Atualmente, com o advento de certas tecnologias, principalmente a Internet, estamos tendo que escrever cada vez mais. Temos que escrever um e-mail atrás do outro, documentar projetos, propostas, orçamentos, etc. Um ponto importante relacionado a esta questão é que já foram realizados estudos que mostram que a comunicação escrita está muito mais sujeita a um mal entendimento do que a comunicação falada. Dessa forma, quando queremos passar uma idéia ou fazer uma solicitação, se não formos muito claros em nosso texto a chance da outra pessoa não entender ou entender de forma errada é grande.

O problema é que poucas pessoas estão realmente aptas a escrever de uma forma clara e principalmente correta. Essa deficiência, obviamente, vem de longe. Infelizmente as escolas brasileiras dão pouca ou nenhuma ênfase ao escrever bem. Existem as aulas de Português, com todas as regras e principalmente as exceções da nossa querida Língua Portuguesa. Todos nós fizemos redações e lemos alguns livros (mesmo que tenha sido apenas para sair bem na prova). Mas salvo em raríssimas exceções, nunca foi pedido para escrevermos um comunicado e divulgá-lo por toda a escola, ou então teve que montar um discurso para falar para várias pessoas. Quando entramos na faculdade, talvez tivéssemos a chance de receber alguma base nesse sentido. Mas as universidades hoje, ao invés de enriquecer sua grade curricular estão tomando o caminho inverso : lançando cursos mais curtos, tempo insuficiente até mesmo para se aprofundar nas matérias específicas.

O que podemos acompanhar hoje, com a disseminação dos programas de mensagens instantâneas (MSN, Google Talk, Yahoo Messenger ...), é que algumas pessoas resolveram inventar uma outra Língua, bem diferente do Português. "Aqui" vira "aki", "não" vira "naum" e assim vai. Um dos objetivos deste "Internetês" é evitar a necessidade de digitar acentos, o que atrasa a digitação. O problema que podemos ter com a disseminação do "Internetês" é que com o tempo, as pessoas percam o costume de escrever corretamente. Uma coisa é escrever "naum" num bate-papo casual com um amigo, outra completamente diferente é escrever assim em uma prova do vestibular ou em um e-mail enviado para um cliente. Não trata-se da necessidade de proibir essa maneira de digitar, mas sim de acharmos isso a coisa mais normal do mundo. Definitivamente não é ... Por mais que esteja fora de moda, se digitar "não", "então", etc seja demorado, o correto seria fazer um curso de digitação e aprender a digitar rapidamente.

Uma das profissões mais valorizadas ultimamente, principalmente em grandes empresas é a de Gerente de Projeto. Resumidamente, um Gerente de Projeto é responsável por fazer qualquer projeto ser executado da melhor forma possível, com qualidade, dentro do prazo estipulado e sem estourar os orçamentos. Além disso, ele tem que manter todos os interessados no projeto cientes do andamento, dos problemas, das soluções ... Se consultarmos qualquer bom livro sobre Gerência de Projetos vamos encontrar, sem nenhuma dificuldade, a afirmação de que uma das principais, senão a principal, habilidade de um bom Gerente de Projetos é saber se comunicar bem, tanto oralmente como por escrito. O Gerente de Projetos é responsável também por toda a documentação do projeto, desde sua especificação e levamentamento de requisitos até sua entrega final.

A comunicação mal feita, tanto relacionada com erros ortográficos quanto com frases sem sentido ou mal escritas, tem impacto negativo ainda maior quando se trata de uma comunicação entre empresas ou entre empresa e cliente. Informações erradas ou uma má impressão podem até mesmo gerar perdas financeiras.

Nesse sentido é de extrema importância que todos nós, profissionais de mercado, procuremos ler bastante. A leitura é a forma mais rápida, divertida e barata de adquirirmos fluência verbal e escrita. Aprendemos a escrever de forma correta, enriquecemos nosso vocabulário e nossa cultura. O resultado virá em pouco tempo e depois que se adquirir gosto pela leitura, tudo fica mais fácil !!! E aqueles que não tem esse hábito devem pensar nisso logo porque não vai demorar a surgir no mercado vagas com a seguinte exigência : "Exigemos Português fluente".

2 comentários:

Alexandre Alencar disse...

Excelente essa colocação !!!

Atualmente a comunicação em geral (tanto entre pessoas, como entre empresas) está passando por uma crise profunda, particularmente em nosso país de baixa escolaridade média. Inicia-se com a falta de conhecimento básico de ortografia, construção sintática, e termina no terrível "analfabetismo funcional". A meu ver, todos esses pontos estão interligados, e são uma das causas da baixa eficiência do setor produtivo quando comparado com outros países (é covardia olharmos para países europeus, e mais agora os gigantes asiáticos China, Coréia e até mesmo a Índia).

Um dos pontos básicos para o Brasil se colocar como uma grande potência passa efetivamente por melhorias na educação, na qual a língua portuguesa é central para todas as atividades.

Tarcísio Mello disse...

O principal problema disso tudo é que quando o país acordar para esta situação de empobrecimento cultural talvez será tarde demais. São necessárias gerações para que uma nação mostre os resultados de uma política educacional inteligente. A questão é que enquanto outros países (mesmo daqueles ainda em desenvolvimento) já começam a colher os frutos desse investimento, nós brasileiros podemos sentir a situação inversa : queda na qualidade do ensino e da cultura geral das pessoas.

Estou lendo ...